BLOG
BLOG DA PATRICIA CRAVEIRO


O tabagismo causa envelhecimento precoce da pele!

Entenda como ocorre os prejuízos do tabaco à curto e longo prazo, tanto na saúde quanto na estética.





O envelhecimento precoce da cútis está associado à vasoconstrição periférica que as toxinas do cigarro promovem na circulação. Ocorre diminuição do fluxo sanguíneo na pele, com menor oferta de nutrientes e de oxigênio, o que constitui um envelhecimento prematuro com diminuição da produção de colágeno.

Alem disso observa -se um aumento do consumo do colágeno e da elastina,  reduzindo severamente a elasticidade da pele, o que proporciona aumento de rugas, piora de flacidez e do tônus, perda do viço e brilho cutâneo.

O hábito de fumar leva também ao aparecimento de rugas ao redor da boca, chamado código de barras.
Isso ocorre tanto pelo consumo de elementos estruturais da pele quanto pela contração de músculos ao redor dos lábios.

Sabe aquele biquinho ao franzir os lábios constantemente para fumar... pode levar ao surgimento de sulcos e à diminuição dos lábios.
Ao fechar os olhos para evitar a irritação da fumaça, rugas “pés de galinha” também podem se formar.
São, ainda, ampliados os riscos de infecções virais, como verrugas, pois o tabagismo promove supressão do sistema imunológico.

Como os músculos da face são interligados, juntamente com o aparecimento de rugas por toda a face, é muito comum o surgimento das bolsas malares.

Existem alguns estudos feitos com gêmeos, em que somente um tem o hábito de fumar, que demonstram que aquele que fuma pode aparecer até oito anos mais velho que o irmão.

Alguns trabalhos americanos apontam que cada dez anos de uso de cigarros correspondem a dois anos e meio a mais de envelhecimento.
Então, após 30 anos fumando, o paciente pode parecer em torno de oito anos mais velho, quando
comparado a pessoas que não fumaram.

Sinônimo de glamour nos anos 50, fumar foi visto como algo completamente aceitável.

Apenas há alguns anos a população passou a se conscientizar sobre os males que o cigarro traz a saúde.


A nicotina, princípio ativo do cigarro, é causadora da sensação tranquilizante e da síndrome de abstinência.
Ela produz uma enzima que destrói as fibras formadoras de colágeno, proteína da pele responsável pelo fortalecimento e cicatrização da pele.
Sua influência no organismo pode trazer diversas consequências à saúde, como hipertensão, doenças cardíacas, enfisema e câncer de pulmão.

A nicotina interfere diretamente na circulação sanguínea, comprometendo a irrigação do sangue no organismo, e impede que o corpo elimine as toxinas. Também pode haver ressecamento capilar, com fios de cabelo de aparência frágil, opaca e sem vida, podendo ocorrer quedas. A nicotina, juntamente com o alcatrão, provoca também o amarelamento dos dentes, o mau hálito e pode acarretar doenças orais mais sérias, como cáries e até a queda dentária.


Quando o envelhecimento da pele já está aparente, incomodando esteticamente, há diversas opções de tratamentos dermatológicos voltados à beleza para mascarar os efeitos do cigarro e rejuvenescer a pele.

Técnicas que utilizam substâncias químicas ou laser são capazes de remover a camada envelhecida e danificada da derme, removendo manchas e rugas.

Esses tratamentos também estimulam a produção de colágeno, o que dá uma aparência mais jovem e saudável à pele.

Mas o primeiro passo é interromper o tabagismo. Pois parar de fumar é importante para o coração, para os pulmões, para a circulação periférica e também para a pele !

A saúde e a beleza agradecem!

Até breve,

Dra Patricia Craveiro.


0 Comentários