BLOG
BLOG DA PATRICIA CRAVEIRO

Foi ela mesma em um video caseiro quem contou neste mês de dezembro, nas proximidades do final do ano, que contraiu catapora e estava afastada do convívio social. E se desculpou por sua ausência na estreia do filme Unbroken ( Invencível é o título em português )  : "Então ficarei em casa, me coçando e com saudade de todo mundo. E eu mal posso acreditar, porque esse filme significa muito para mim. Eu simplesmente não posso acreditar, mas é a vida"...


A atriz Angelina Jolie, que atualmente tem 39 anos de idade, não foi imunizada com a vacina contra catapora na infância. ( Foi em 1995 que a vacina entrou no calendário vacinal americano para o público infantil ).
Muitos de nós, brasileiros adultos, também não somos imunizados contra o vírus da catapora, pois a vacina somente entrou no calendário vacinal brasileiro gratuito do ministério da saúde em 2013. 
Atenção: Não é preciso nenhum alarde ou preocupação na população brasileira, pois não estamos atualmente com "surto" da doença no Brasil nesta época de final de ano.

             Mas aproveitamos para esclarescer sobre a doença aqui no BLOG!


A Catapora ou Varicela é uma doença infecto contagiosa, causada pelo vírus varicela-zoster. Está classificada entre as afecções do tipo exantemáticas, que trazem como conseqüência erupções na pele. É altamente contagiosa, mas geralmente de curso benigno. 

( No Brasil era uma das enfermidades mais comuns da infância antes do advento da vacina ! )

Desde setembro de 2013 a vacina contra a varicela está disponível no SUS incorporada à vacina "tríplice viral", formando a vacina "tetra viral" ( catapota, sarampo, caxumba e rubéola ). Ela sozinha é encontrada apenas em clínicas privadas particulares, podendo ser aplicada a partir dos 9 meses de idade. Segundo o Ministério da Saúde, na rede pública a vacina tetra viral está disponível gratuitamente somente para crianças de 15 meses de idade que já tenham recebido a primeira dose da tríplice viral. 

A Academia Americana de Pediatria e a Sociedade Brasileira de Pediatria recomendam ainda o reforço da vacina entre os 4 e 6 anos de idade, para prevenir completamente a doença, pois a dose única gera, em alguns casos, uma imunidade que não impede que a pessoa manifeste a doença, ainda que numa forma mais branda.

Os primeiros sintomas da catapora são febre acima de 38 graus e mal-estar. Entre 24 e 48 horas mais tarde, surgem pápulas avermelhadas, que dão lugar a pequenas bolhas ou vesículas cheias de líquido, que se rompem posteriormente e formarão crostas de cor amarronzadas que provocam muita coceira. A geografia da doença começa no tronco e só depois se dissemina para braços e pernas. 




As lesões são polimorfas e coexistem ao mesmo tempo na pele tanto pápulas avermelhadas, quanto vesículas e crostas.

A transmissão do vírus da catapora ocorre por contato direto através da saliva ou secreções
respiratórias ( por exemplo tosse e espirros que liberam gotículas de aerosol infectadas no ar ) ou por
contato direto cutâneo com o líquido do interior das vesículas.

O período médio de incubação é de 15 dias e a recuperação completa ocorre entre 07 a 10 dias depois do aparecimento dos sintomas.

A pessoa infectada deve permanecer afastada do trabalho e da escola até que todas as vesículas na pele se tornem crostículas bem secas. Neste momento, em média 10 dias após o início dos sintomas, quando restam apenas crosticulas ( sem nenhuma pápula avermelhada ou vesícula ainda aparecendo ) observa- se que finalizou o período de transmissão da doença e o indivíduo poderá retornar ao convívio social normalmente sem risco de contaminar as outras pessoas.

Geralmente não deixa cicatrizes, a menos que ocorra infecção coadjuvante nas lesões, desencadeadas pelo hábito de coçar a pele. 

Por ser uma doença viral, o ideal é a prevenção através da vacina. São prescritos antitérmicos como Dipirona e Paracetamol para controlar a febre e a prostração. Mas há também medicamentos antivirais efetivos para tratar os casos mais graves, os adultos e os imunodeprimidos (indivíduos com deficiência imunológica, seja por doenças como HIV, ou por tratamentos de quimioterapia).
Além disso, recomenda-se não se administrar aspirina ou outros medicamentos contendo ácido acetilsalicílico (AAS) para baixar a febre em crianças com a doença,  porque há registro na literatura médica, de uma síndrome que acomete o fígado e pode causar coma, atribuída ao uso desse medicamento. É a chamada Síndrome de Reye, que atinge o sistema neurológico. 

Para aliviar a coceira existem loções e géis que refrescam a pele, além de anti histamínicos de uso oral. O uso de anti sépticos, como sabonetes a base de triclosano e banhos com permanganato de potássio também são válidos.

A doença catapora acontece uma única vez durante a vida, gerando imunidade natural posteriormente.
Mas o vírus varicela-zoster permanece na nossa memória imunológica "adormecido" e pode
reaparecer depois de um tempo na forma de uma outra doença conhecida como HERPES ZOSTER.

Consulte sempre um médico para avaliar qualquer doença, prescrever o tratamento mais adequado e orientar sobre os cuidados e o quadro clínico. O atendimento do médico é sempre fundamental desde o início dos sintomas ! 

Até breve,

Dra Patricia Craveiro

0 Comentários