BLOG
O mês de janeiro é dedicado para discutir uma das doenças mais antigas do Brasil: a hanseníase. A ideia da Campanha Janeiro Roxo é conscientizar a população sobre a doença e incentivar o diagnóstico precoce. 
A  hanseníase já foi problema para muitos pacientes e famílias de portadores da doença. É  que no passado, a doença que também era conhecida como lepra,  era  cercada de muito preconceito.  Antes, se acreditava que os pacientes tinham que ficar isolados. Hoje, o tratamento avançou muito: é gratuito, eficiente e rápido. A hanseníase tem cura, mas é importante fazer o tratamento desde o início. 
A hanseníase é uma doença crônica e infecciosa, causada pelo bacilo Mycobacterium leprae. Ela atinge a pele e os nervos periféricos. Os principais sintomas são manchas claras, róseas ou avermelhadas no corpo, além de perda ou diminuição da sensibilidade. A transmissão da hanseníase se dá pelo contato prolongado e frequente com uma pessoa infectada pelo bacilo e que não esteja em tratamento. A pessoa infectada expele bacilos através do sistema respiratório superior quando ela fala, tosse ou espirra. Tocar a pele do paciente não transmite a hanseníase. 
Prevenção e tratamento
A melhor forma de prevenção é o diagnóstico precoce e o tratamento adequado. Desta forma, a cadeia de transmissão da doença pode ser interrompida.  No Brasil, o tratamento é de gratuíto e fornecido pelo Sistema Único de Saúde, o SUS. O tratamento é eficaz e cura. Após a primeira dose da medicação não há mais risco de transmissão durante o tratamento e o paciente pode conviver tranquilamente em sociedade  Quanto mais cedo o tratamento for iniciato, melhores serão os resultados.  Valorize sua saúde! E se tiver dúvidas conte comigo! Até a próxima

0 Comentários