BLOG
 A chegada do verão traz uma preocupação com a saúde: o câncer de pele.  De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o tipo mais comum é o não melanoma, que apresenta baixa letalidade. Porém, a incidência é muito alta: são cerca de 180 mil novos casos a cada ano.

 A doença é causada pelo crescimento descontrolado e anormal de células da pele. Já o melanoma é o tipo mais agressivo de câncer da pele, porém mais raro.

 O câncer da pele pode parecer com pintas, eczemas ou outras lesões benignas. Se você apresenta  feridas que não cicatrizam ou manchas na pele que coçam, ardem, descamam ou sangram  tem que procurar uma ajuda médica.

  Conhecer bem a pele e saber em quais regiões aparecem mais  as pintas pode fazer toda a diferença pra ajudar a encontrar alguma irregularidade.  Uma regrinha simples pode ajudar nessa investigação do próprio corpo: é a “ABCDE”.  Mas atenção: o autoexame da pele é importante, mas não substitui o diagnóstico médico.  Então vamos lá:

A - Assimetria: uma metade da pinta é muito diferente da outra metade.

B - Bordas irregulares: as pintas não são lisas e apresentam irregularidades nas bordas.

C - Cor: a coloração não é a mesma em toda a pinta, há diferentes tons de marrom, preto e, às vezes, azul, vermelho ou branco.
D - Diâmetro: a pinta é maior do que 5 mm (0,5 cm).

E - Evolução: mudanças da aparência ou crescimento rápido de uma pinta.

 É importante tambem não abusar do sol, principalmente nos horários entre 10h e 16h. Use óculos, bonés e um protetor solar adequado para a sua pele.

 Fique atento e faça o autoexame, mas lembre-se de que apenas um médico pode dar o diagnóstico final e indicar o melhor tratamento. Dúvidas? Agende sua consulta!

Até breve!

0 Comentários